sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Protocolo entre IPB e Obra Social Padre Miguel

Uma instituição de solidariedade de Bragança vai reduzir em cerca de um terço a despesa com alimentação, plantando hortas abandonadas na cidade com o apoio científico do instituto politécnico, numa parceria que vai abrir portas aos estudantes para estágios.
O protocolo entre a Obra Social Padre Miguel (OSPM) e o Instituto Politécnico de Bragança (IPB) foi ontem oficializado e contempla também a organização e disponibilização para investigação de uma biblioteca composta por milhares de livros doados à instituição.
A parte agrícola desta parceria é a que terá de imediato mais visibilidade com a OSPM a recuperar antigas hortas que se encontram sem cultivo no raio de um quilómetro em torno das instalações, na zona de São Lázaro.
São oito hectares cedidos pelos proprietários, segundo explicou o presidente, Nuno Álvaro Vaz, de onde espera colher uma variedade de alimentos agrícolas para as 500 refeições diárias fornecidas nas diferentes valências, dos idosos à creche, num total de perto de 300 pessoas, incluindo 90 funcionários.
O IPB colabora, fornecendo conhecimento e dispondo de espaço para a prática dos alunos da Escola Superior Agrária.
O presidente da OSPM espera poupar «entre 30 a 40 por cento» do que está a gastar anualmente em alimentação, uma poupança que ajudará a «acabar mais rapidamente com o encargo de 1,7 milhões de euros» que a instituição está a pagar de um empréstimo bancário contraído para a construção do complexo social.
Também os utentes do lar poderão participar nestes cultivos, nomeadamente aqueles que lidaram toda a vida com a agricultura e continuam a gostar do trabalho na terra.
O presidente do IPB, Sobrinho Teixeira, sublinhou o «contributo recíproco desta parceria, porque a Obra vai também contribuir para o que o instituto necessita em termos de conhecimento, como campo de experimentação e de estudos dos alunos» na área agrícola, mas também para a prática dos estudantes em estágios profissionais noutra área.
De imediato seis alunos vão estagiar na OSPM na área da gerontologia, um curso pioneiro que só existe em Bragança e em Aveiro, em Portugal. A OSPM irá também fazer parte de um consórcio de entidades e empresas que o IPB vai constituir para se candidatar a um centro de estágios europeu, que permitirá enviar alunos portugueses para outros países e vice-versa.
O IPB vai ainda ajudar a organizar e aproveitar como centro de estudos a biblioteca da OSPM, que recebeu entre quatro a cinco mil livros de literatura doados por um estudioso da terra, Hirondino da Paixão Fernandes.
O autor está também a elaborar a bibliografia do distrito de Bragança, um repositório de todas as obras que se publicaram de todos os autores que escreveram sobre a região.
Segundo explicou, serão dez volumes com perto de sete mil páginas, que invocam à volta de seis mil autores e que espera concluir em Agosto/Setembro para depois ser publicado pela Câmara de Bragança.

Sem comentários:

Publicar um comentário